Varejo de vizinhança e sua importância para o setor supermercadista

24/06/2016

Frequentar o mercadinho do bairro tem se tornado hábito entre os consumidores. São os chamados mercados de vizinhança.

Curiosamente nos últimos tempos, com ênfase a partir de 2015, os consumidores têm retomado um hábito de compra: frequentar os mercados de vizinhança (minimercado), também conhecidos como varejo de proximidade. O termo diz respeito aos estabelecimentos localizados em áreas geograficamente mais remotas, não em lugares que costumam ser estrategicamente comerciais. Inclusive, devido a essa tendência do público, grandes players do mercado têm investido na estruturação de estabelecimentos no estilo “mercado de vizinhança”.

Uma pesquisa divulgada pela Associação Paulista de Supermercados – APAS e realizada pela Nielsen, apontou que o mercado de vizinhança foi responsável em 2015 por 48% do crescimento do setor supermercadista. Esses estabelecimentos têm ficado cada vez mais atraentes ao consumidor, pois oferecem preços atrativos que, muitas vezes, não diferem tanto dos supermercados tradicionais e também, apresentam atendimento personalizado, o que acaba chamando atenção de um público que preza pela comodidade e conforto de poder fazer suas compras próximo de casa.

Os números apontam que estamos vivenciando uma maior diversidade de canais, estimulada pela tendência da mudança de hábitos de consumo. Outro dado significativo diz respeito ao que os consumidores costumam comprar nos mercados de vizinhança. Costumeiramente são as compras de posição, representando 67% dos itens. Em geral, no autosserviço (supermercados) as compras de reposição representam 56%. Isso mostra que é hábito do brasileiro ir até um mercado de vizinhança quando, inesperadamente, acaba algum produto em casa.

Esse é um dos motivos que explica porque o ticket médio dos mercados de vizinhança continua menor quando comparado aos dos supermercados. Ainda é hábito dos brasileiros fazer as “compras pesadas” do mês em um local com maior variedade de opções. Enquanto nos supermercados o consumidor gasta, em média, R$66,00, nos mercados de vizinhança o valor cai quase pela metade, R$38,00.

Entre os produtos de reposição que costumam integrar as compras realizadas em mercados de vizinhança estão as guloseimas. A Barion oferece uma variedade de opções para suprir as necessidades deste canal de compra. Entre os itens preferidos dos consumidores estão biscoitos, bombons, chocolates, creme de avelã, pão de mel, rolinhos de wafer, wafer tradicional e outras variedades. Acesse o site da Barion e saiba mais sobre esses e outros produtos. 


Pesquisar


Posts recentes


Curta nossa página


  • Tags

  • Tags


  • RSS