Receio do consumidor é o maior obstáculo das marcas próprias

10/06/2016

Empresas de varejo apostam em marcas próprias para conquistar consumidor.

Em tempos de crise econômica espera-se que as famílias brasileiras apertem o cinto, fazendo com que a procura por mercadorias mais em conta aumente. Apesar disso, a desconfiança em adquirir marcas próprias ainda é alta segundo dados de pesquisa realizada pela Nielsen. De acordo com a pesquisa as vendas de marcas próprias cresceram 6,1% entre 2014 e 2015, o que levou a uma participação total no mercado de 5,1%, um número bastante pequeno. Na Espanha, por exemplo, a participação das marcas próprias é de 42,9%, bem maior que o número brasileiro.

Quais fatores importam mais que o preço na hora da decisão de compra? Fora o preconceito em relação ao preço mais baixo, na maioria das vezes, há desconfiança em relação à qualidade. A maioria dos brasileiros experimenta a marca própria com receio, temendo que sua qualidade seja inferior e que gaste dinheiro à toa.

A pesquisa da Nielsen aponta que somente 56% dos brasileiros acham que as marcas próprias têm a possibilidade de serem melhores que as conhecidas. O número é o mais baixo da América Latina, onde uma média de 62% dos consumidores pensa dessa maneira.

Outro dado revelado pela Nielsen mostra que boa parte dessa relutância em aderir a MPs pode vir do preconceito. Isso fica explícito quando 57% dos consumidores pensam que marcas próprias são compradas apenas por pessoas que não têm condições financeiras de comprar produtos famosos ou que estão com dificuldades de orçamento.

Ao contrário do que se pensa, é muito importante ressaltar que, como a marca é do varejista, a fiscalização aos produtores e à qualidade desses produtos é muito maior do que aos itens que não possuem a marca própria. Ou seja, por mais que o preço seja baixo, não interfere na qualidade exigida pelos órgãos de fiscalização.

Marca própria como solução para a crise

Muitos varejistas e grandes redes já começaram a utilizar a marca própria como estratégia para burlar a crise. A vantagem que mais atrai os varejistas é a fidelização do consumidor proporcionada por produtos de marca própria.

Para garantir um nível mais elevado de vendas e incentivar a experimentação por parte dos clientes a solução é investir em produtos diferenciados. Nessa categoria estão incluídos alimentos premium, com foco em qualidade ao invés de preço, produtos de nicho, cosméticos e perfumaria. É importante acompanhar as tendências de mercado e de consumo em cada comércio. Através da proximidade com o consumidor, varejistas devem descobrir os produtos mais procurados e investir neles. 

Os setores de farmácias e cosméticos também já começaram a investir nas marcas próprias para melhorar o faturamento. É sempre bom lembrar que cada setor possui consumidores com comportamentos diferentes, portanto, é importante considerar o perfil dos clientes na hora de investir numa estratégia de marca própria.


Pesquisar


Posts recentes


Curta nossa página


  • Tags

  • Tags


  • RSS